A História de Igrith - Parte 01 de 03

Nessa primeira parte da história apresentamos Igrith, uma menina que sofreu horrores desde o seu nascimento até encontrar seu caminho na adolescência e obrigada a reviver os horrores do passado em determinado momento de sua vida.
Alertamos que a história de Igrith não é recomendada para menores de 14 anos.

A História de Igrith - Parte 01 de 03

O INÍCIO DE TUDO

Igrith, 23 anos. Sem pai, sem mãe, sem passado.

A menina nasceu de um parto longo e doloroso, no qual sua mãe veio a falecer e seu pai, com ódio por ter perdido a mulher amada, entregou a menina, ainda sem nome, a um fazendeiro da região e partiu sem nem mesmo olhar para trás.

A criança ainda sem nome foi criada e cuidada até completar cinco anos de idade, época em que os trabalhos domésticos lhe foram impostos e os abusos começaram.

Toda noite o velho fazendeiro a chamava pelo nome que havia lhe dado, um nome que a menina quer esquecer, e a tomava para seu prazer doentio. E foi assim até que a ela completasse 12 anos, época em que sua primeira regra veio.

O velho fazendeiro esperava por esse dia. Ansiava que a menina se tornasse sua fonte de escravos, e agora ela estaria apta a gerar o primeiro deles. Porém, a menina não queria esse destino para sua descendência e resolveu colocar um fim no plano ardiloso do velho.

Naquela noite, pegou a adaga que o velho usava para abrir suas cartas, colocou-a dentro de si, de forma que a ponta estivesse virada para baixo. Ela sabia que iria sentir muita dor, mas estava disposta a resistir para evitar o destino que o velho lhe reservara.

Quando o velho a chamou para o quarto, ela adentrou e se despiu, como de costume. Subiu sobre o corpo asqueroso do velho e encaixou seu quadril com o dele. Em seguida começou a pressionar o quadril sobre o dele, fazendo com que a adaga destruísse toda a virilidade do velho e levando também a fertilidade da jovem em uma mistura de ódio, satisfação e dor.

 

O CASTIGO INJUSTO

Seu castigo seria a morte, mas ela não se importava mais. Sabia que o velho não poderia abusar de mais ninguém a partir daquele dia.

A menina foi amarrada sobre uma pedra onde aguardou sob o sol forte em sua pele nua. Em seguida, seu algoz se apresentou, lançando a primeira chibatada, fazendo o sangue da menina verter em meio aos golpes de couro e aço.

A sendibilidade de sua pele marcada e sua consciência a estava abandonando naquele momento.

A dor trouxe os delírios e quando o couro marcou seu rosto, uma única vez, seus olhos observaram entre o sangue que jorrava, um brasão prateado acompanhado do som da lâmina que pôs fim a vida do carrasco. Nesse ponto seus sentidos a abandonaram e a menina adentrou na escuridão de sua mente, não sabendo se voltaria a ver a luz desse mundo.

Os pesadelos do outro mundo pareciam vívidos e surreais. Os fantasmas de seu passado se mostravam maiores do que a lembrança a permitia alcançar. Todo o sufoco desapareceu quando seus olhos, agora abertos, fitavam o olhar preocupado de seu salvador.

Ele era, para todos os efeitos, alto e jovial. Seu sorriso sincero acolheu a menina e ela retribuiu o sorriso, sem nem mesmo saber o porquê...

 

E A HISTÓRIA CONTINUA...

Você que leu até aqui, conheceu o ínicio da história de Igrith, que vivenciou uma infância e adolescencia terrível e, assim como muitos indivíduos desse universo, está prestes a se envolver em tramas cheias de mistérios, onde o sobrenatural e fantasioso caminham lado a lado da realidade.

Compartilhe essa história com seus amigos, para que mais pessoas possam embarcar nas jornadas incríveis do Universo Alenda.

Para conhecer a continuação da História de Igrith, clique no botão abaixo que irá te redirecionar.. Aguardo você lá...!!

 

A História de Igrith - Parte 2 ➡

 

 

 

Enviando Comentário Fechar :/
Desenvolvido por Alenda Digital
Voltar ao topo
X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!